quinta-feira, 1 de abril de 2010

Passaporte Pet



Esses dias li em alguns jornais sobre a criação do passaporte de animais de estimação, que conterá todas as informações do animal e de certa forma acabaria com a burocracia em relação a documentação dos bichinhos na hora de viajar. Mesmo porque o passaporte semelhante ao nosso, acabaria com as divergências existentes entre alguns paises para entrada e saida de animais. Por esse lado achei legal, porque facilita muito a vida de quem leva seus animais de estimação para passear pelo mundo.

Tudo isso parece fútil, mas na verdade estou tocando nesse assunto para falar de uma coisa mais séria.

No final do ano passado vim do exterior e trouxe comigo minha gatinha de estimação, providenciei toda a documentação para que não tivesse nenhum problema no desembarque. Tive até alguns probleminhas em relação a vacinação, pois se tratando de um filhote, ela ainda não tinha tomado vacina anti rábica, mas os orgãos responsáveis no Brasil exigiam a vacina e um periodo de no minimo um mês entre a vacinação e a data de embarque. Tudo bem, problema resolvido, embarcamos para o Brasil.

Chegando no Brasil o que mais me chocou e me entristeceu, foi o descaso das autoridades brasileiras. Em pleno surto de gripe suina no inverno do hemisfério norte, o posto da Vigilância Sanitária do Brasil estava fechado e não havia nenhuma orientação ou fiscalização em relação as pessoas que vinham do exterior.

Mas o pior ainda estava por vir. Na hora do check out, tive que me separar do meu marido, porque tinha que apresentar a documentação da minha gatinha no departamento de quarentena no Setor do Ministério da Agricultura. Mesmo depois de feito o check out, não deixaram meu marido meu auxiliar no procedimento e tive que fazer tudo sozinha, carregando duas malas de 32K, bagagem de mão, bolsa e a gaiola da gata. Passar tudo no raio x,(sozinha, porque não tive auxilio de nenhum funcionário do aeroporto), esperar cerca cerca de 20 minutos, para no final, chegar uma funcionária e dizer que estávamos liberados porque não havia nenhum veterinário de plantão. E nem sequer checaram nenhum documento. E detalhe que só no meu vôo devem ter chegado uns 5 animais de estimação, todos liberados. Me senti totalmente desrespeitada.

Por isso quando vi a noticia a respeito do passaporte para os pets, não sabia se ria ao lembrar o incidente no aeroporto ou se chorava, pelo mesmo motivo.

4 comentários:

Seja o primeiro a comentar